Sunday, May 10, 2009

Com atraso de ver filmes no sofá e ler a enciclopédia das mulheres criminosas (as coisas que se lêem não lembram o diabo),

Sinopse do filme que vi no sofá: Uma filha da alta burguesia de residência lisboeta, Marta, deixa o marido. Fartou-se. Sabe que há coisas que já não lhe interessam e tenta vida nova. É hospedeira de terra numa companhia de aviação e modelo de uma agência de publicidade. Tem problemas de dinheiro e recorre a Vítor, para melhorar as coisas. Mas tudo piora. Vítor – um contrabandista a quem a vida já tudo ensinou e que já não tem esperança – agrada-lhe, conforta-a, mas não lhe dá nada do que verdadeiramente precisa. Certo dia, ele aparece morto. Culpa sua? Um descuido? E Marta prossegue, sempre de certo modo sozinha, o seu caminho, em busca de qualquer coisa, numa terra que não é bem a sua.

Respostas:
1. Os sapatos foram baratos e fazem agora de poster.
2. Manifestar cantando, só vale se assim for. Porque é honesto – expressão portuguesa que não designada nada mais nada menos que falta de jeito para se ser subserviente.
3. Os sapatos andaram por ai, a subir e a descer a Rua Passos Manuel. E um dia até escorregaram em frente ao supermercado.

1 comment:

L said...

os sapatos davam uma bela capa para um livro que eu cá sei