Saturday, April 05, 2008

COME AS YOU ARE

1. Comer peixe facilita a memória. Às custas desta verdade aumentei o meu consumo de peixe para o triplo, assim como toda a família. Comer peixe é muito mais divertido que comer carne e o peixe tem também mais variedade de sabores. No entanto os animais confundem-me. Eu queria um gato, mas comprei um aquário onde também queria colocar um peixe. Mas os outros moradores da casa disseram-me que o aquário era muito pequeno e que seria um atentado à vida do animal dar-lhe como destino o recipiente de 15cm de diâmetro. Então, começamos a colocar lá as contas do mês. É necessário explicar que o aquário é muito pequeno, mas que é uma peça decorativa lindíssima, com umas garças a rodear a taça de vidro. Como gatos e peixes são inconciliáveis, voltei à ideia de ter um gato, uma vez que ter um peixe não era possivel. Desta vez, os meus colegas explicaram-me que talvez fosse melhor fazer um teste à minha responsabilidade e ter primeiro flores e plantas e se elas não morressem logo na primeira semana, possivelmente seria capaz de ter um gato. Entretanto apareceu lá em casa um gato ao qual alimentamos com o peixe que sobra da casa dos meus pais onde comemos (agora) doses imensas de peixe....Ahhhhh! Parece um pesadelo entre peixes e gatos...e também plantas.
2. Um dia fui comer peixe com um tipo nitidamente (do tipo) Modernista na Foz que fez um comentário sobre uns miúdos que passavam com uma toalhinha cada, para se esfregarem na areia: “estes pobres infelizes são insuportáveis!”. Sei que entretanto me seduz fazer desenhos abstractos, pensar no indizível e no intraduzível e até tenho uma certa (com)paixão pelo Picasso, mas esta ficou-me atravessada e nunca mais quis sair com ele. Faltaria explicar porque é que eu lhe chamo Modernista, mas isso demoraria um eternidade porque este é, ainda por cima, cego. [Chamar cego a um Modernista!]
3. O dinheiro e o tempo estão-me a bloquear as ideias. Parece que tenho uma paralisia na boca, que passa aos temporais e sobe aos frontais. A pressão que me atinge impede-me de levar o “boat foward”!
4. Hoje ainda é Verão (na segunda desaparece) e já não vejo a hora de ir para a praia à noite, improvisar bikinis e entrar na água com sapatilhas – eu sou das que tem nojo do fundo do mar.
5. No Verão passado queria ter feito uma performance na praia – que sorte que não se faz tudo o que se pensa; que pena que às vezes se perdem boas oportunidades de se concretizarem boas ideias.
6. Se eu tivesse uma rádio diria: “aproveitem a tarde para não fazerem nada de industrialmente produtivo e se possível não façam ninguém lucrar com o vosso tempo livre!”.

1 comment:

Catarina said...

Os gatos dão menos trabalho que as plantas.
Eu deixo as plantas morrer todas e tenho a minha gata há 10 anos.