Tuesday, September 25, 2007


Para o Monologo e para K:
Pois aos 30 anos tenho algumas poucas e boas certezas,

1. Detesto telefonemas - mesmo que seja aquele emprego, aquela viagem, aquela pessoa, a grande oportunidade de ter um bilhete para o jogo do Barcelona com o Sevilha – prefiro não atender, nem saber quem é. As excepções são: o Mário e a minha mãe. Todas as outras pessoas podem causar equívocos, más interpretações, e outros empecilhos que ninguém precisa! Detesto falar pelo Messenger também, uma vez que já terminei com um namorado por esse meio. Os ritmos neste caso, de escrita, irritam-me tanto que limitei a conversa à Lígia. Com todas as outras pessoas, troco informações tipo telegrama. E tento ser muito objectiva. Com isto, estou a tentar melhorar a minha vida e livrar os outros da chatice de ter que me dar explicações ou de pedi-las! SMS é o meu meio. É caro, faz doer os dedos, é pouco simpático se estamos sempre a teclar, mas bolas! Vai directo ao assunto! Por isso, por favor, se me ligarem ou se falarem no Messenger partam do principio que eu gostaria que corresse tudo bem, por isso, não deixem espaço para empatar tempo ou para eu fazer uma piada estúpida que possa ser piorzinha!
2. Gosto de Fado. Mais gostarei quanto mais conhecer. Assumidamente. Agradecia conselhos de discografia obrigatória.

2 comments:

litcha said...

hm! eu ultimamente acho o contrário, os sms dizem pouco e não se entende o subtexto, não há entoação e deixa muito espaço para dúvidas de interpretação, e odeio inventar possibilidades de entendimento. assim sendo ficamos incomunicáveis :-(

vanessa paradis said...

Encontros pessoais são o melhor.
Sempre que encontramos um conhecido, amigo de longa data, amigo recente, filósofo das ruas com quem nunca ousamos falar, devemos fazer uso do tempo o melhor possível!